Quem vai ocupar o espaço do One Direction?

Todo mundo tem a sua época de grande renome, de grande sucesso. Poucos são os artistas que perduram por décadas, muito menos aqueles que conseguem ser relevantes por tanto tempo. Existe uma realeza na música o qual jamais podemos contestar. São muito maiores do que qualquer dúvida que possa surgir. Outros, entretanto, vem e vão.

Nos últimos anos podemos falar, com segurança, que os grandes players do mercado do entretenimento mundial foram: Justin Bieber, One Direction e Taylor Swift. E quando me refiro aos três me refiro à capacidade de movimentar grana em diversas frentes – seja na vendagem / streaming de suas músicas, em merchandising, em turnês, em ser presente e relevante nas redes sociais. Uma estratégia 360 graus que ataca todas as frentes possíveis de acordos comerciais e que movimenta milhões e milhões de dólares.


Durante o final da década passada o nome mais forte e consistente era o de Justin Bieber. Tudo nesse mundo do entretenimento praticamente girava em torno dele. Arrastava multidões de garotas virgens desesperadas que viam o garoto franzino como a sua maior referência de estilo e comportamento, exalando um amor platônico e muitas vezes infantilizado.

Justin dominou tudo por alguns anos. Muita gente não via a hora dessa onda Bieber passar. Mas para isso acontecer outro fenômeno deveria surgir. E foi aí que veio o One Direction. Justin continua no mercado, mas apesar de causar ainda bastante curiosidade em torno do seu nome e de qualquer passo que dê, já não é o mesmo de quatro, cinco anos atrás.


Formados no programa inglês The X-Factor, em 2010, One Direction lançaram o primeiro single oficialmente em 2011, mas foi em 2012 -quando eles lançaram o single nos Estados Unidos – que começou a invasão teen britânica. Mas tudo tem seu pico e seu declínio. A confirmação da pausa do 1D a partir de março de 2016 indica claramente o caminho que a situação irá tomar. Contudo, quem será a “estrela” que vai ocupar esse espaço? 

Paralelamente a isso Taylor vem mostrando que se tornou uma verdadeira diva. Antes dela tivemos o estrondoso sucesso de Gaga e Katy Perry, mas agora é a vez de Taylor ter seu rosto estampando incontáveis capas de revistas mundo a fora, fazendo a turnê que tem tudo para ser a mais lucrativa do ano, tem batido recorde atrás de recorde em views no Youtube, vários singles nas primeiras posições dos charts no mundo todo. Disco mais vendido do ano nos EUA. Não tem pra ninguém. Pode ser que em 2016 diversos prêmios, como Grammy, ainda venham para a cantora.

A questão aqui não é julgar e nem levantar o mérito de quem é bom ou ruim, se tem qualidade ou não. O ponto é refletir sobre quem pode ocupar o espaço de fenômeno teen mundial no próximo ano. Seriam os meninos do 5 Seconds of Summer? A própria Taylor numa guinada ainda mais estratosférica? Ou algum novo nome que vai arrebatar o mercado? Só o tempo vai dizer! Aguardaremos e acompanharemos!