O amadurecimento de Troye Sivan em Wild

É isso que Wild representa na carreira do jovem Torye Sivan: Amadurecimento.

Seu EP foi lançado há dias atrás e tem repercutido bem nas redes sociais, conquistado fãs e a crítica. Desde que seu canal no youtube ficou mundialmente conhecido, Troye virou o queridinho das redes sociais e da galera que curte um pop mais independente, uma música diferente do que estamos ouvindo por aí e diferente do que outros jovens fazem atualmente.

Em Trxye, não me canso de falar, tudo ocorre de forma perfeita e concisa. Em Wild vemos aquele menino virando um homem decidido e com seus talentos aperfeiçoados.

Troye nos apresenta um projeto competente. Algo que mal imaginamos na carreira de algum artista atual. Planeja o lançamento do EP primeiramente, com uma trilogia, entitulada como Blue Neighbourhood que terá três músicas do EP como tema e possivelmente um álbum até o fim do ano.

Wild é a abertura do trabalho, inicia também a trilogia a trilogia Blue Neighbourhood e é ainda o primeiro single. Responsabilidade demais que uma a música cumpre bem. Muito bem!

Bite e Fools são as duas faixas seguintes. Ótimas, parecem conversar entre si. Combinam letra forte e carregada de sentimentos com uma produção impecável.

A faixa seguir é a parceria entre o australiano e o duo alternativo Broods. Ease é a melhor faixa do EP, usa uma forte batida ao fundo e vocais bem empregados. As vozes de Troye e dos Broods são muito bem combinadas ao longo da música.

Outra faixa que poderíamos dizer que é a melhor, é The Quiet, onde Troye emprega um vocal diferente de todas as outras músicas, nos faz lembrar bem do maravilhoso Trxye.

O trabalho é finalizado com DKLA parceria com a rapper zimbabuana Tkay Maidza. Outra ótima faixa, bem produzida com arranjos impecáveis e letra profunda e bem escrita.

O álbum é daqueles que se deve ouvir todo, se tirar uma faixa fará falta. Peca por parecerem umas com as outras, não ter nenhuma diferente, nenhuma que se destaque ou se sobressaia sobre as outras.

Vale muito a pena ouvir.

Nota: 90/100

Tagged with: