Leona Lewis e sua volta

Leona Lewis, vencedora da terceira edição do X-Factor, uma das poucas ex participantes do programa a se manter no mercado.

Mas nem tudo foi mar de rosas na vida da moça. Seu primeiro hit Bleeding Love e seu primeiro álbum, Spirit, foram sucessos absolutos de crítica, público, vendas, etc. Rendeu recordes e tudo mais, porém logo em seu segundo trabalho, o álbum Echo de 2009 as coisas desandaram. As vendas de singles e do álbum foram bem abaixo do esperado, decepcionando a cantora e a gravadora.

E a gravadora não a perdoou. Boicotaram singles, apresentações e deixaram de investir em Leona. Mesmo assim ainda foi lançado o maravilhoso Glassheart de 2012 e o cd natalino Christimas, With Love de 2013.

Porém a desandada de seu contrato com sua gravadora fez com que Leona saísse da Syco e assinasse um contrato com a Island Records (divisão da Universal Music).

E porque de toda essa introdução?
Pois bem, é esse o gás, esse o ‘alimento’ de seu novo trabalho I Am, tema de nossa review da vez.

O álbum começa com força!
Se inicia logo com Thunder uma balada forte que se tornou seu primeiro single em território americano em anos.

Então com a mesma força no instrumental e arranjos, chega a vez de Fire Under My Feet que seria o primeiro single desse trabalho. Música de temática bem batida e clichê. Mas muito bem produzida.

Em You Knew Me When Leona mostra a que veio. Vocais impecáveis com um piano ao fundo, combinação perfeita dando uma quebrada ao início mais agitadinho. Música beirando a perfeição, só perde mesmo pra música que dá título ao álbum.

Em I Am Leona entrega sua melhor performance no álbum. Tem vocais mais controlados mas também tem seu momento de extravasar. Ponto pra ela!

Na música mais genérica e mais pop Ladders, podemos afirmar que o álbum vem se sustentando bem. Ladders é uma boa música, mas só.

Mais uma canção falando de si mesma. The Essence Of Me ainda nos remete bem ao que a cantora já fez em Echo, batidas fortes e refrão pegajoso. Uma ótima canção.

I Got You tem produção, letra e melodia bem clichê, pode-se considerar a pior música do I Am. Em Power Leona faz outra ótima performance. Canta excepcionalmente bem com uma produção criativa e impecável.

Another Love Song é a mais animada da lista, tem tudo pra fazer algum sucesso pelas paradas mundiais, mas, a cantora tem que divulgá-la. Thank You é a canção que desanima tudo, cansativa, repetitiva.

Thick Skin e The Best and The Worst encerram o I Am de uma ótima forma, inspiradora. A voz da Leona nessas duas canções nos transmite uma mensagem sincera e honesta, ela põe a prova todo sentimento do disco.

O álbum ganha pontos por ser linear, por colocar todas as músicas em seu devido lugar, nenhuma canção destoa o ritmo do cd e talvez esse também seja seu ponto fraco: às vezes se torna muito do mesmo.

Se bem trabalhado pode render bons frutos a Leona Lewis.

Nota: 70/100

Tagged with: