O que achamos de Confident, o novo álbum da Demi Lovato

Demi Lovato lançou há uma semana o seu quinto álbum de estúdio, Confident.

De acordo com a Revista Billboard, que contabiliza as vendas do mercado fonográfico, nos Estados Unido, bem como a execução via streaming e compila numa lista semanal, popularmente conhecida como a parada musical mais importante do mundo, a Billboard 200 (pra álbuns), o novo álbum da cantora está competindo diretamente com o grupo Pentatonix o posto de disco mais vendido na última semana. A lista oficial será divulgada no próximo domingo, 25.

O alvoroço por causa do vazamento e, depois, por conta do lançamento do disco da cantora foi tanto que eu preferi deixar a poeira baixar por alguns dias para poder ouvir com calma o que a cantora preparou e aqui vão as minhas impressões:

Ouvi faixa a faixa – aqui vou considerar somente a versão standard – e meus comentários geralmente refletem muito mais a relação com o que eu ouvi, o momento, as letras, do que sua qualidade e habilidades técnicas.

Gosto muito de como o disco começa. O single Confident vem justamente para mostrar o novo direcionamento que Demi quer dar pra carreira, mesmo que isso, mais tarde no mesmo álbum, pareça se perder. Mas já já eu explico. A faixa de abertura dos trabalhos traz uma cantora cheia de energia, querendo ser poderosa. Isso se confirma quando a gente ouve Cool for the Summer – uma das melhores faixas POP deste ano, sem sombras de dúvidas. Old Ways faz a cantora confessar essa mudança de direção e se alguém disser que ela deve voltar ao que era, não tem volta. É isso! Pra frente é que se olha Demi!

Ao ouvir a quarta faixa For You fiquei com a sensação de que o refrão é conhecido. Não consigo me lembrar de onde, mas tem uma sonoridade, talvez oitentista que me soa bastante familiar. Não sei. Quando chega na música Stone Cold o coração dispara. A canção é um single promocional que teve vídeo acústico divulgado pela cantora dias antes do lançamento do disco e que caiu no gosto dos fãs. Traz uma letra dolorida de alguém que tenta aceitar um amor perdido. Demi canta que “se a felicidade é ela, estou feliz por você”. Dando todo seu apoio mas com o coração devastado, partido. A canção é um dos pontos altos do álbum.

Saindo de uma balada romântica a gente vai para uma faixa que vai crescendo conforme sua duração vai passando. Kingdom Come traz a parceria esperada entre Demi e a rapper Iggy Azalea. A faixa é uma ótima mistura POP com R&B, mas não acredito no potencial para single. Espero que ela não faça a burrada de escolher essa. Eu escolheria a faixa seguinte Waiting for You que também traz uma participação especial: Sirah! A gente apresentou ela aqui no site recentemente. Em entrevista ao inglês The Sun, Demi disse que a faixa é sobre cantoras e suas brigas nas redes sociais, deixando claro que ela está pronta pra briga caso algo se vire contra ela. Se ela quer bombar deveria investir nesse single! Haha! Mais atual que isso, impossível!

“Yeah, don’t take things too personal
But you made shit personal
Talkin’ ‘bout my bad habits
Man, fuck my bad habits
Don’t act like you got none.”  – Demi Lovato, em Waiting for You

Quando a gente chega na oitava faixa parece que o álbum dá uma esfriada. Justamente o que eu mencionei antes aqui no texto. Aquela mulher confiante que a gente estava vendo parece que se perdeu – não que isso seja ruim ou que as canções sejam ruins, mas perdeu o fio condutor. Wildfire, na minha opinião, não pegou. Faltou algo. Lionheart nem se fala. Cadê a mulher que ela tá vendendo na capa do disco? A mulher confiante quer enfrentar guerra por amor, nesta faixa, mas soa tão clichê. Batido. A gente quer a Demi dona da festa! Em Yes, de novo a cantora canta: “Não tente me mudar”. Já entendemos, girl! A faixa não traz nada demais, mas os fãs vão adorar cantá-la ao vivo. O refrão ajuda.

“Here I am if you’re ready to try
Here’s my life for better or worse…” – Demi Lovato, em Yes

 

Agora quando chega na última faixa é hora de pegar o lenço. A canção Father é uma homenagem à seu pai biológico que faleceu dois anos atrás, vítima de câncer. Na época, em seu Twitter, desabafou que aquele momento era “o mais difícil pelo qual já havia passado”. Patrick Lovato faleceu aos 54 anos de idade. Os pais da cantora se separaram quando ela ainda tinha dois anos e ela foi criada pela mãe e pelo padrasto. O pai de Demi lutou por anos contra o vício da bebida e enfrentava problemas psicológicos que atrapalhavam diversos aspectos na sua vida, inclusive sua relação com a cantora. Ouça a música e se emocione. É tocante.

O disco da Demi não decepciona. E a gente tá feliz por ela ter deixado inúmeros problemas pra trás (ou pelo menos, de lado) para encarar uma nova mulher, uma mulher crescida. Ela tá evoluindo e tem tudo pra continuar no caminho certo. Sua legião de fãs está contente e bastante satisfeita – basta ver a loucura que foi a vinda da cantora ao país nesta semana. Sua música é feita para eles, na medida. Dramas pessoais, relacionamentos e sensualidade exalam e refletem a vida de qualquer pessoa. Por isso os mais jovens se identificam tão bem com a cantora. E ela sabe o que fazer para capitalizar isso.

Nota: 80/100.
Ouça no Spotify:
Tagged with: