O banquete dado pelos Stones!

Com alguns shows marcados no Brasil, The Rolling Stones trará o que sobrou de melhor para fãs antigos e novos fãs da banda. Será que haverá alguma outra oportunidade de ver os caras ao vivo? Nunca saberemos! Mas é bom tirar proveito desses bons ventos. Aos que não entenderam, ver os Stones ao vivo agora é como ver um show da Madonna. Lendas que não podem deixar de serem vistas/ouvidas enquanto estão vivas!

Por isso, faremos uma review de um dos álbuns mais polêmicos – por dividir opiniões – da banda, Beggars Banquet.

 

1401x788-stones

 

Nono de estúdio na discografia americana e sétimo na britânica. O álbum foi lançado em 6 de dezembro de 1868, e marcou o retorno da banda às raízes do R&B. Na época, foi um grande sucesso nas paradas, alcançando top 5 nas duas principais (americana e britânica, claro).

Com esse álbum, os Stones cravaram o início do fim de todas as outras bandas de rock quando o assunto é “a melhor banda de rock de todos os tempos”. A mistura de rock, blues e country, trouxe ao mercado um som extraordinariamente bem elaborado. Atrevo-me a dizer que talvez a única coisa que falte no álbum seja a faixa Jumpin’ Jack Flash, grande hit da banda que só foi lançada como single.

 

 

Há música mais viciante e instigador que Sympathy For The Devil? No Expectations é uma canção linda, e traz os últimos acordes realmente bem tocados pelo Brian Jones. Será que alguém vai conseguir não ficar bêbado e cantar Dear Doctor? Gravem isso, por favor! Parachute Woman é a clássica música para flerte. Sexy até o fim, e ainda traz o Brian tocando gaita com o Jagger, arrepia só de pensar nela. Jig-Saw Puzzel lembra a Who’s Been Sleeping Here? do álbum Between The Buttons, que por sua vez lembra o Bob Dylan. 

Em Street Fighting Man sabemos que o Brian tocou sitar e tambura. E tem mais:

“Foi gravada no cassete de Keith com uma bateria de brinquedo dos anos 30 que eu tinha comprado em uma loja de antiguidades e ainda tenho em casa” – disse charlie watts

Foda, né?

Seguimos com Prodigal Son, onde eles fizeram um blues genuíno, provando que poderiam ter seguido nessa vibe, que se dariam super bem também. Em Stray Cat Blues, temos a impressão de que estamos ouvindo algo tocado pelo John Lee Hooker (influente cantor e guitarrista de blues americano), mas logo eles entram com o blues pesado que se tornou marca da banda. E ainda tem Factory Girl, a combinação um tanto estranha de country com música indiana que deu até certo (mais uma pra se beber e cantar), e fez com que a última faixa, Salt Of The Earth, tocasse como se fosse a primeira do álbum, mesmo sendo a última. Ainda sobre Salt, Jagger falou:

“A canção é toda em cinismo. Dizendo que aquelas pessoas não têm nenhum poder e elas nunca terão”

Os  shows acontecerão nos dias 20/02 (RJ), 24 e 27/02 (SP) e 02/03 (Porto Alegre-RS). Mais informações no site: http://rollingstones2016.com.br/site/

Agora é hora de escutar o Beggars Banquet, clica no link a seguir e comece a esquentar!