Deu saudades… dos anos 80!

O que falar dos anos 80?

Bom, eu tava nascendo. Porém adoraria ter vivido intensamente essa década tão querida. Só de imaginar os anos que nos apresentaram Madonna. Ou ainda deu ao mundo o disco mais vendido de todos os tempos: Thriller, de Michael Jackson.

Politicamente nosso país estava um caos. Últimos anos da ditadura militar e o início de um processo democrático. Diretas já! A morte de um presidente eleito sem se quer assumir o posto, Tancredo Neves. No final dos anos 80 surgiu a versão atual da nossa Constituição. Mas deixemos a política de lado…

Foi nos anos 80 ainda que tivemos a explosão dos sintetizadores e da New Wave. Na década de 80 tivemos ainda o surgimento da empresa que transformaria a cultura jovem de todo o mundo e ditaria o futuro do entretenimento: a MTV. Uma revolução. Os videoclipes começaram a ser uma das principais ferramentas de divulgação dos nossos artistas queridos. O melhor da TV com o melhor do rádio. Como dar errado?

Apesar de toda a glória dos anos 80, a década não começou fácil. A morte cruel de John Lennon, um dos maiores e mais talentosos nomes da música em todos os tempos, causou espanto, surpresa, indignação e uma legião de fãs se lamentando com tamanha perda. Em 8 de dezembro daquele ano John Lennon foi assassinado na porta de casa, em New York, com cinco tiros disparados por um dos mais ávidos fãs.

Daqui deste lado do planeta, a gente perdeu Raul Seixas, o maior nome do rock nacional. Aos 44 anos o cantor faleceu vítima de uma parada cardíaca, em decorrência de uma crise pancreatite. Perdemos ainda as mais do que talentosas Elis Regina e Clara Nunes. Pra sempre em nossos corações.

Foi nos anos 80 que o rock reacendeu a sua chama e destacou inúmeros nomes como Guns n’ Roses, Metallica, Iron Maiden, Judas Priest, U2, Megadeth, Slayer. Enfim… o rock estava no auge da cadeia do entretenimento. Foi a sua geração mais frutífera. E maravilhoso ver que grande parte deles continuam em atividade e bastante relevantes no cenário até hoje.

E o rock nacional? Foi a década que ele, de fato, deu as caras. Titãs, Barão Vermelho, Kid Abelha, Legião Urbana, RPM, Ira!, Capital Inicial, Blitz, Ultraje a Rigor… e foi nessa década também que surgiu o Rock in Rio que teve papel fundamental na consolidação desta cena que estava engatinhando por aqui.

Analisando os anos 80 a gente mal consegue acreditar o quanto ela contribuiu para uma transformação cultural sem precedentes. É impossível explicar todo o impacto que essa década causou e nos inúmeros talentos que surgiram, se desenvolveram e dominam o mundo.

O pop teve seus representantes. Michael Jackson e sua brilhante carreira solo roubou toda a cena. Se tornou o rei do Pop e certamente ninguém irá conseguir atrair esse título para si em muitas e muitas gerações. A irmã Janet também ganhou seu espaço nos anos 80. Aliás mulheres fortes surgiram aos montes.

A australiana Kylie Minogue conquistava o mundo com I Should Be So Lucky. Madonna já não era mais uma virgem, mas mexia como ninguém com a questão sexual. Esfregava na cara mesmo da sociedade e criava suas próprias regras. Cindy Lauper queria só se divertir. Já Olivia Newton-John continuava a ganhar muito grana com a repercussão do filme musical Grease, lançado no final da década anterior.

As bees também estavam bem representadas. Boy George causava. Pet Shop Boys agitavam as pistas. George Michael arrancava suspiros. Aliás o seu primeiro disco, Faith, lançado em 1987 é considerado por muitos especialistas como um dos melhores da história do pop.

Muita gente de hoje bebeu muito da fonte de inspiração dos anos 80. Alguns copiam descaradamente. Mas isso faz parte. Vale saber o que da nossa década atual será relembrado em décadas futuras.

Esse clipe aqui é bem lembrado e elogiado até hoje:

Valeu anos 80!