Os números não deixam mentir!

É incrível a capacidade que alguns artistas tem de agradarem à quase todos os públicos, digo, do pop ao funk, do clássico ao mais pesado rock and roll. A Adele é uma prova viva, posso até me atrever a dizer que é a maior prova de que isso é capaz de acontecer. Agora se você não acredita no que eu estou falando, se você torceu a boca ao ler essa parte do texto, eu vou provar aqui que o que eu tô falando, é verdade. Aliás, vou deixar os números provarem.

Todo mundo sabe que estamos passando por tempos difíceis. E no mercado fonográfico não tem sido diferente. Desde a invasão da Internet em nossas vidas, baixar músicas gratuita-ilegalmente tem sido uma das coisas mais fáceis. Até minha avó consegue fazer isso. Agora, essa minha avó, também consegue reconhecer o que é bom, e ela comprou o álbum da Adele. Perguntei o motivo, e ela não poupou: ela é ótima!

 

 

Todos os seus álbuns venderam super bem, mas com o último, 25, ela se superou, quebrou recordes inacreditáveis e arrebentou a boca do balão! Tudo bem, que ela canta de amor, e é só a choradeira, mas há algo ali que nem o Pablo (do arrocha) consegue explicar.

Vamos lá?

3.38 Milhões: esse foi o número de cópias vendidas só nos Estados Unidos em sua semana de lançamento, de acordo com Nielsen Music. Foi a maior venda semanal desde que Nielsen começou a contabilizar as vendagens, isso lá em 1991. E olha, 25 foi o único álbum que vendeu mais de 3 milhões em uma semana.

335 cópias vendidas por minuto: com 10,038 minutos em uma semana, 25 vendeu cerca de 335 cópias por minuto nos Estados Unidos em sua primeira semana de vendas.

tumblr_nwqr1hX2EJ1s9cj03o1_128025 vendeu mais que os álbuns do restante da lista juntos: ele debutou em #1 na lista de álbuns vendidos, e suas vendas foram duas vezes maiores que os álbuns que se encontravam na lista, que iam do #2 (Purpose, do Justin Bieber, com 184,000) ao #100 (trilha sonora do filme Descendentes, com 5,000).

25 foi o único álbum que vendeu pelo menos 2 milhões de cópias em 2015: ele ultrapassou o 1989 da Taylor Swift (1,78 milhões vendidos em 2015). Só para vocês terem uma ideia, em 2014, apenas dois álbuns venderam em 1 ano o que o álbum da Adele vendeu em uma mísera semana (1989 da Taylor e a trilha sonora de Frozen).

1.71 Milhões de CDs: ele abocanhou 38% de todos os álbuns vendidos em discos compactos (CD) naquela semana.

1.64 Milhões de álbuns digitais: quebrou o recorde de álbuns vendidos em uma semana, tirando o Born This Way da Lady Gaga do trono, na época, ele tinha vendido 662,000 cópias digitais.

22,000 vinis vendidos: 25 vendeu 22,000 cópias de LPs – a terceira maior vendagem em uma semana de álbum em vinil contabilizada na história da Nielsen. Apenas as estreias de Lazaretto, do Jack White (40,000) e Vitalogy, do Pearl Jam (34,000) foram maiores.

 

Gente, isso é assustador!

E teve muito mais depois desse lançamento… Só para vocês terem uma noção, com seu álbum anterior (21), ela vendeu cerca de 30 milhões de cópias no mundo, após cinco semanas de lançado, o 25 já tinha vendido quase metade desse número. A britânica foi além, e colocou seu álbum na frente de campeões de vendas, como os jogos “FIFA 2016” e “Call of Duty: Black Ops III” – isso, no Reino Unido. Eu nem mencionei aqui os recordes alcançados pelo primeiro single “Hello“, e o álbum nem está nas opções para streaming, viu!?