Cheiro dos anos 90!

Agora são 17:17h, estou jogado aqui no chão da sala, e coloquei o álbum Mais da Marisa Monte para tocar…

Cheiro de café? Nãoooo!!! Cheiro dos anos 90! Cheiro bom, cheiro gostoso!

Fui ler sobre o processo de gravação dele, e descobri que foi gravado entre o Brasil e Nova Iorque. Mas olha, deve ter sido mais gravado por aqui, porque é brasileiro!  Um gol de placa da Marisa!

Logo de cara, a gente recebe o convite dela pra beijá-la, nem dá pra recusar, né? Música boa da porra! Ai de quem peça um beijo com essa música, pra ver se não recebe NA HORA!

E o disco segue…

“Não temos perspectivas, mas o vento nos dá a direção.”  – nesse momento, se a coisa tá feia aqui no Brasil, imagine lá fora. Por isso, ela canta ó:

“Volte para o seu lar!”

Esse foi o segundo álbum de estúdio da Marisa. Será que dá pra compará-lo à algum segundo álbum das divas modernas?

Ainda Lembro de minha mãe escutando essa terceira faixa e cantarolando pela cozinha enquanto preparava o café, almoço ou janta. Cheiro bom, né? A música é assim, nostálgica… apaguei a luz e viajei no tempo.  

De Noite Na Cama é do Caetano, sabiam? A Marisa roubou a faixa, porque dificilmente lembramos dele ao escutar. Hoje à noite na cama, vou pensar nela – na faixa, hein? – antes de dormir.

E a versão de Rosa… Ahhhhhh essas vocês vão escutar agora:

Linda, né?

Borboleta está tocando agora – 17:34 – e eu estou me imaginando no cenário cantado.

Em Ensaboa ela corta um pouco o clima, mas continua brasileiríssima ao misturar trechos de Lamento da Lavadeira (Monsueto), Colonial Mentality, Marinheiro Só, A Felicidade e Eu Sou Negão. Além de ser do grande Cartola!

Eu Não Sou da Sua Rua é uma das oito inéditas do trabalho, e quem não reconhecer o Arnaldo Antunes na estrutura dela, não sabe de nada. Haha…

Agora mais uma que é mais válida a audição, não escreverei sobre…

Essa tínhamos que escutar Diariamente, concordam? Amacia os problemas e estresses do dia-a-dia de tão gostosa.

Como se não bastasse todo esse derretimento, ela vem e me diz que sabe. Ela sabe que estava a toa, mas eu estava na mira. Que sensação boa eu estou tendo ao escutar esse álbum… É tudo muito primoroso!

As críticas da época não pouparam elogios, e o jornal O Estado soltou em suas páginas:

“Menos dramática, com a voz ainda mais afinada e cristalina, o que parecia impossível, Marisa chega a comover.”

“Eu abro a porta para estranhos
Eu cumprimento
Eu quero aquilo que não tenho
Eu tenho tanto a fazer
Eu faço tudo pela metade
Eu não não percebo
Eu falo muito palavrão
Eu falo muito mal
Eu falo muito mesmo sem saber o que estou falando
Eu falo muito bem, eu minto.” – canta ela em “Tudo Pela Metade”

Mas chegou Mustaphá por aqui. Parceria entre ela e o Nando Reis. O Nando que, por sinal, já trabalhou com quase todas as feras da música brasileira. Tão velho quanto a…

São quase 18h e olha, o cheiro do café por aqui está forte. Boa noite. Aos de amanhã, bom dia ou boa tarde. Ouçam o disco. ✋