Disco ‘O samba poconé’ de Skank completando 20 anos

Hoje eu resolvi escutar o terceiro disco da carreira do SkankO Samba Poconé. Depois dei uma pesquisada e percebi que daqui três meses (em Julho) o disco completa 20 anos do seu lançamento! Sim, sim, foi em Julho de 1996!

É um dos principais da carreira da banda mineira. Primeiramente porque é o mais bem sucedido comercialmente: 1 milhão e 800 mil cópias vendidas, segundo a ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Discos). Segundamente porque traz 3 dos principais hits do grupo: Garota NacionalÉ uma partida de futebolTão Seu.

Contracapa do disco 'O Samba Poconé' do Skank (1996)
Contracapa do disco ‘O Samba Poconé’ do Skank (1996)

É uma partida de futebol foi uma jogada (perdão pelo trocadilho) mestre: cantar sobre uma das paixões do brasileiro. Mesmo eu, que não curto futebol, ouvi essa canção e vi o clipe (que tem várias cenas de jogos de futebol) incontáveis vezes. Na Copa do Mundo de 1998 a música foi trilha sonora de cabo a rabo, mesmo o Brasil amargando o segundo lugar pra França (sim, mesmo eu que não gosto de futebol lembro disso).

Garota Nacional é uma das músicas que melhor representa a pegada rock com pitada de reggae (ou seria o contrário?) do Skank. Com um refrão que se resume a “Beat it laun, baun, baun” e referências a uma garota que se quer provar, tanto a música quanto o clipe geraram polêmica na época, o que alavancou sua popularidade. A versão sem censura do clipe mostra mulheres com mamilo de fora dançando numa cabine fechada. Aliás, até a capa do disco poderia ser considerada “explícita”. Se hoje mamilos femininos são censurados no Facebook e no Instagram, imagina lá nos idos da metade dos anos 90 né. A MTV Brasil (que tinha muito poder na época) e demais canais de TV que exibiam clipes se recusavam a exibir Garota Nacional em horários de grande audiência e o clipe teve que ganhar uma versão “light”, que você podia ver perto dos pais! 😛 . Ah, vale lembrar que a atriz Debora Falabella faz aparição no videoclipe, provavelmente a primeira vez que muitos a viram.
(A versão abaixo é a sem censura hein)

cd-skank-o-samba-pocone-arte
Arte do disco “O Samba Poconé” de Skank (1996)

Tão Seu infelizmente nunca ganhou clipe oficial, mas é uma das canções mais reconhecidas instantaneamente, mesmo por não fãs. A atmosfera bem mais inocente se comparada à Garota Nacional facilita uma escuta agradável. “Me sinto só, me sinto só, me sinto tão seu” abre o refrão grudentinho.

Obviamente que não é só de hits que se faz um álbum. Se ao escutar as três já citadas você quiser dar uma curtida no restante do Samba Poconé, uma boa pra começar é Os Exilados.

Bem, O Samba Poconé é aquele Pop/Rock brasileiro (temperado com reggae no caso) despretensioso e fácil de se escutar. Mesmo que só os hits, se você não tiver a fim de escutar o disco todo.