O rock brasileiro não morreu!

Eu estava me perguntando sobre o rock brasileiro, mas ultimamente tenho lido tanto a respeito do rock, que cheguei à conclusão de que ele está mais perto do que imaginamos. Falar que o rock nacional morreu é afirmar que não temos mais atitude na música brasileira, é falar que não há mais guitarras, que não há mais vontade de dançar com as músicas, é falar que não há mais música!

O que seria o rock?

Por mim, ele conseguiu ser definido assim: estilo musical que une todas as ideias contestatórias dos jovens, referentes à insatisfação com o sistema, seja ele cultural, educacional e/ou político. Nele, a música é usada como artifício e causam algum impacto ao ser expressado. Vejamos…

 

Então, em meio à tantos artistas que se incluem nessa definição e tantas músicas que abordam essas causas, porque ainda nos perguntamos pelo rock nacional como se ele tivesse morrido?

A pieguice faz com que as pessoas considerem rock apenas as músicas pesadas, digo, com guitarras, riffs, solos, bateria, etc. e roqueiros seriam apenas os que se vestem de preto, quebram tudo por aí e saiam brigando com todo mundo, sem falar que eles precisam ter seus cabelos grandes [ainda].

safadão-2

 

Se levarmos a última colocação como a mais importante, atualmente consideraríamos o Wesley Safadão um roqueiro!

Porque não?

ebf267e412db5cb87a429380409902c8Todos nós estamos cansados de saber que há muito rock por aí, aqui, acolá. Temos artistas dignos de serem rockstars e músicas que se adequam ao estilo e superam até hits internacionais (só falo isso, porque ainda temos a mania de valorizar apenas o que vem de fora). É um pouco óbvio que não temos mais o Raul Seixas nem a Cássia Eller, mas ainda podemos ouvir trabalhos novos de bandas e artistas como Titãs, Detonautas, Rita Lee, Erasmo Carlos, Pitty, Frejat, Skank e ainda novos sons do rock como Far From Alaska, Maglore, Vivendo do Ócio, Dônica e outros.

Tem rock pra todos os gostos e idades!

446180e71e3f21a8d969d42f32da436aEntão vamos parar de ficar cobrando um rock de verdade e passemos a escutar as coisas com mais boa vontade. É tão chata toda essa discussão e rabugice, com tanta coisa boa rolando por aqui! Aos de gerações antigas, cabe à apresentação devida dos trabalhos antigos, para que eles não morram. Aos da nova geração, cabe valorizar mais um pouco do rock atual, afinal de conta, eles cantarão o futuro da nação. E fim de papo.