Book: Patti Smith e suas memórias avassaladoras

Julho de 2012. A cidade, Berlim. Me recordo como se fosse hoje eu caminhando pela Friedrichstraße quando me deparei com a vitrine da Dussmann, uma das mais importantes livrarias alemãs. Estava indo lá pra conhecer, pois adoro esse tipo de lugar e porque estava à procura do disco de uma banda alemã que eu havia acabado de ver na TV… ainda prefiro comprar discos do que simplesmente baixá-los. Mas o que me chamou mesmo atenção foi a vitrine da loja: repleta de itens da Patti Smith! E nela incluía o livro Só garotos, lançado dois anos antes e, em grande destaque, o seu então recém-lançado álbum Banga. Não comprei nada, mas o destino me faria ficar frente à frente com sua obra novamente.

Não sou um grande conhecedor de seus trabalhos, mas sei da relevância de Horses, o seu primeiro disco, no cenário musical. O disco já foi eleito como um dos cem mais importantes da história e é considerado um dos discos mais relevantes do punk. Mas o que eu vou ressaltar aqui são comentários pessoais a respeito do seu livro Só Garotos.

Patti Smith and Robert

O que dizer? Pra mim, de longe, um dos melhores livros que eu já li. Dos melhores, pela riqueza de detalhes e por me fazer querer ter tido a chance de ter vivido diversas passagens relatadas do livro. Queria ter tido a oportunidade de estar lá. De ter visto as cenas de Patti Smith e Robert Mapplethorpe, seu mais fiel amigo e parceiro enquanto criavam, enquanto brigavam, enquanto se amavam, enquanto se completavam.

O meio que conviveram é daqueles de doer: de Jimi Hendrix à Andy Warhol e Janis Joplin. Patti Smith e Mapplethorpe viveram completamente rodeados de arte e do desejo de transformar suas vidas pela arte. Tinham um ideal muito claro e definido e faziam de tudo para que o sonho se tornasse realidade.

Patti_SmithA escrita de Patti é fluída, muito simples e captura você para dentro da história. Um livro completamente autobiográfico. Eu queria loucamente ler o livro de uma única vez, mas cheguei a conclusão que seria melhor lê-lo aos poucos. Ler devagar me faria conviver com o livro e aquela história por um tempo maior e ainda me faria viajar por mais tempo. O que mais eu poderia querer?

Só queria que nunca mais acabasse!

Patti obrigado por sua imensa colaboração ao mundo, por seu talento e por dividir com a gente!