As mulheres estão dominando o sertanejo

Chega das mesmas letras melosas, em que só o homem sofre, implora, quase se mata pela perda do amor. Chega também daquelas palavras ditas por ELES onde todos são festeiros, baladeiros e deixam claro que, mulher pra eles é um esporte, ou um objeto. Chega também daquela exposição de corpos trabalhados em academias com suas testosteronas sintéticas tão evidentes.

É claro, há exceções? Claro que sim.

Mas a gente está sendo apresentado a uma nova fase desse estilo de vida, que provavelmente vai dominar o país (se já não está dominando). Há meses atrás, publicamos um artigo onde dizíamos que tudo no sertanejo estava estagnado, exagerado e igual. Um gênero musical tão popular, era até então dominado e tocado a frente, em sua maioria, por homens.

Eis que 2016 e suas surpresas, trouxeram as mulheres aos holofotes e ao estrelato. Juntas, estão no topo das paradas musicais, dominando streamings no país e acumulando milhares (eu disse MILHARES) de visualizações e inscrições em seus respectivos canais no Youtube.

O sertanejo no Brasil é o pop. Quer a gente queira, ou não. E não pensem em mulheres que vislumbram um estrelato quase inalcançável para uma pobre anônima. Além de suas letras um pouco diferentes, elas ainda trazem consigo uma verdadeira aproximação ao público feminino brasileiro: aquela mulher com o corpo normal, com problemas normais, com suas vidas normais. Aquela mulher que sempre assumiu seus casos de relacionamentos amorosos, seja uma traição, um amor não correspondido ou até um ficante que não ia dar certo, hoje tem músicas que as entendem, as representem.

Guardem esses nomes:

Marília Mendonça

Com apenas 21 anos, a goiana já escreveu músicas para nomes como Lucas LuccoJorge e MateusCésar Menotti e Fabiano e tantos outros artistas – incluindo suas colegas dessa lista. Lançou seu primeiro disco esse ano e atualmente está com duas músicas no ranking da Hot 100 Brasil da Billboard.

Maiara & Maraisa

Elas dominaram o Hot 100 da Billboard Brasil esse ano por semanas, acumulam mais de 1 300 000 inscritos em seu canal oficial no Youtube, além das milhares de visualizações. Com suas músicas compostas por elas mesmas ou ainda em parceria com Marília Mendonça, as irmãs gêmeas aparecem 5 vezes entre as músicas mais tocadas do país.

Naiara Azevedo

Sua música mais tocada hoje no país, 50 reais, é em parceria com Maiara e Maraísa. Acumula atualmente quase 800 000 seguidores em sua conta no Spotify, dona de uma voz potente Naiara, assim como suas colegas, já escreveu músicas para outros artistas do gênero e hoje está trilhando seu próprio caminho na música.

Simone & Simaria

Também sensação de streamings e no Youtube, a dupla que já foi backing vocal de Frank Aguiar(!) é de origem humilde do interior do país. Com o cd/dvd Bar das Coleguinhas lançado esse ano, elas apostaram no sertanejo, campo que na época ainda estava sendo explorado pelas mulheres e deu super certo.

O mundo é das mulheres, e elas vão dominar tudo, sim!