Subestimados Pt1: Jessie J, Foxes, Rebecca Ferguson e Olly Murs

Hoje daremos início a um pequena série de matérias onde questionaremos o porquê de determinados artistas serem tão subestimados e esquecidos pelo público, crítica e mídia.

Subestimados, seria a palavra correta. As pessoas simplesmente não dão o devido valor a esses nomes – quando se diz pessoas, pode-se ler público, empresários, equipe e principalmente, a gravadora.

Nessa primeira parte falaremos sobre 3 ingleses que para nós mereceriam um maior reconhecimento:

jessie j

Sua grande chance veio no fim de 2010 quando Do It Like A Dude foi confirmada como primeiro single de seu primeiro álbum – que levaria 6 anos pra ficar pronto, em seguida viria o grande hit de sua carreira, Price Tag. A questão é que já de primeira a cantora mostrava a que veio e provava seu talento, porém de alguma forma suas chances como grande artista e grande nome foram sumindo fazendo dela “só mais uma”.

Ela é dona de uma voz incrível (IN-CRÍ-VEL), de um talento pra compor e performar únicos e ainda de um carisma e amor pela profissão pouco vistos nos artistas pop da atualidade. O que faltaria então à Jessie J? Talvez uma maior valorização…

foxes

Ela já começou muitíssimo bem sua carreira musical: Com o mega sucesso Clarity, ao lado do também estreante DJ e produtor Zeed. Com a canção eles ganhavam em 2013 um Grammy por Melhor Gravação Dance.

Esse bom desempenho com a parceria alçaria Foxes ao estrelato, fama e reconhecimento, mas não foi bem assim. Um ano após vencer seu grammy, Foxes lançava seu primeiro disco, Glorious que até conseguiu debutar entre os 5 discos mais vendidos no UK. Mas os esforços para com a artista pararam aí mesmo: foi mal distribuído, mal foi divulgado e ainda não houve investimentos em marketing.

Com o segundo disco, só ficou ainda mais claro o tamanho do descaso da gravadora com a cantora. Seu disco All I Need, foi por diversas vezes adiado, teve 3 de seus singles lançados ainda em 2015 e não houve mais alguma promoção do disco.

Ela compõe suas próprias faixas, não faz uso de auto-tune ou qualquer ferramenta pra corrigir algum defeito – coisa que ela não tem. O que faltaria então à Foxes? Provavelmente uma gravadora que apoie a cantora.

Olly Murs 

Olly Murs pra alguns é só mais um ex-participante de reality show que deu certo. Mas deu certo até certo ponto.

Ele chegou à final da edição do X Factor UK em 2009, saiu de lá perdedor do programa, mas com um contrato com a Syco Music, gravadora fundada pelo jurado, empresário e magnata da indústria fonográfica, Simon Cowell – a gravadora também é responsável pelos outros ex participantes do programa e constantemente alvo de críticas pela falta de investimentos em artistas que, digamos, não vendem o esperado.

É de se salientar as chances que Olly teve na carreira após sua participação no X Factor, também há de se mencionar que ele tem um relativo sucesso em sua terra natal, porém tudo se limita a isso mesmo. Fora do UK o cantor não teve chances de mostrar seu trabalho como devia e em um cenário até carente de homens na música pop, um talento e experiência como o que Olly tem, não devia passar despercebida ou até esquecida.

rebecca ferguson

Ela já está pronta pra lançar o quarto disco da carreira ainda sob o selo de Simon Cowell, a Syco Music. Quando em 2010 se destacava como uma das finalistas do X Factor UK (na mesma edição em que seu ex namorado Zayn Malik e seus até então amigos do One Direction, se sobressaíram), Rebecca trazia ali uma imagem de grande cantora, com talento suficiente pra seguir uma carreira brilhante repleta de sucessos.

Mas não foi bem assim: seus álbuns são até notados pela crítica e respeitados pelo público, mas seus singles têm desempenhos muito abaixo do esperado. E também sofre do mesmo mal que Olly Murs, por exemplo, sofre que é ter sua carreira limitada a seu país natal.

E mais do que ninguém, Rebecca Ferguson não precisa provar seu talento a mais ninguém, e poderíamos ficar aqui e citar inúmeros motivos que provam o talento sem igual da cantora, mas a pergunta que fica é: Por que subestimar um talento como esse?