Bruno Mars volta com álbum recheado de possíveis hits

O terceiro disco de Bruno Mars, lançado nesta última sexta-feira, traz o que o cantor mais sabe fazer: hits. Cada vez mais apostando no funk e no groove e acompanhado da sua incrível banda e seus parceiros nos vocais, Bruno está de volta com um álbum cheio de faixas que devem ter sucesso instantâneo.

24K Magic abre e dá nome ao disco e já te mostra o caminho o qual o cantor apostou nesse disco. Depois disso vem uma metralhada de coisa boa. Sério. Impossível não se pegar cantarolando ou mexendo alguma parte do corpo com Chunky ou Perm.

Em That’s What I Like ele dá uma baixada no ritmo mas não perde o estilo. É mais um acerto. Ele dita as ordens e você ao ouvir não se cansa. Versace on the Floor é aquela baladinha do disco que não podia faltar. Mas não vá achando que é algo como Talking to the Moon ou Grenade. A faixa não é ruim mas claro que não chega aos pés destes grandes clássicos da carreira do Bruno.

Straight Up and Down continua numa linha mais romântica, cheia de swing, uma bela amostra de R&B. Bruno sabe bem o que faz e faz como poucos. Calling All My Lovelies segue a linha apaixonado. Finesse prepara o fechamento disco. Volta o ritmo mas numa transição não tão radical em relação à faixa anterior. Tudo certo então.

Too Good To Say Goodbye pode ser aquela baladinha que a gente estava esperando. Tem cara que pode entrar na trilha de alguma novela. Vocais poderosos.  E não tem como não fazer as mesmas comparações de sempre. Definitivamente ele continua bebendo da fonte de Michael Jackson. Tem horas que eu juro ouvir timbre de voz parecido.

Uma pena o álbum ter tão pouco material. Apenas nove faixas e a gente não quer aceitar que o disco acaba tão rápido. Poxa Bruno, tantos anos esperando, a preguiça bateu?!

Nota: 75/100

 

Tagged with: