The Weeknd no popularesco e requintado Starboy

Em 2015 o nome masculino de maior sucesso nas paradas musicais de todo o mundo, foi sem dúvida o canadense The Weeknd. Com três canções no topo, seu disco (Beauty Behind the Madness) vendendo bem, sendo requisitado por outros artistas e ainda agradando a crítica e prêmios, Abel Tesfaye estava com sua carreira bem encaminhada e direcionada.

Mas hoje vivemos outras épocas, onde um sucesso de um ano pode muito ser passado pra trás e se cair no limbo do passado rapidamente, The Weeknd se tocou, reviu todo seu sucesso no ano passado e decidiu usar sua experiência em um novo disco já lançado esse ano.

Em Starboy, Weeknd assume seu sucesso, assume as mazelas e vantagens desse estouro no ano anterior e recria uma nova persona para si. É o mesmo The Weeknd de sempre, mas é um novo – contraditório, eu sei. Aqui ele assume seu lado mais pop, se distanciando daquela sonoridade indie e distante do popular.

Música pop. Música pop de qualidade. Qualidade excelente! Talvez seja assim que possamos resumir The Weeknd nas 18 faixas de Starboy.

Vira e mexe falo o mesmo: “ele sabe o que tá fazendo”. E com o terceiro disco do The Weeknd repito essa máxima. Aqui ele demonstra que é importantíssimo que um artista saiba “o que está fazendo”, se não for assim, transparece que qualquer coisa aqui foi jogada de qualquer jeito e sem nenhuma noção – o disco se torna sem sentido.

Nas produções os hitmakers Max MartinDaft PunkDiplo, o versátil Doc MacKinney (quem também assume a produção executiva do disco ao lado de Weeknd) entre outros excelentes. Dentre as participações ele repete a dose com Lana Del Rey na excelente e terrivelmente curta Stargirl Interlude (ela ainda faz um backing vocal em Party Monster), com o aclamado rapper Kendrick Lamar em Sidewalks Future em Six Feet Under All I Know , além do duo francês Daft Punk que aparece creditado como participação nas faixas que produz.

Starboy já é um dos clássicos da música pop em 2016, um dos melhores discos do ano e merecidamente dono de um dos maiores debuts. The Weeknd junto de seu time competente de produtores e compositores, reuniu tudo de mais moderno e atual em uma tracklist repleta de possíveis sucessos sem tornar o disco chato ou cliché demais.

Boa, The Weeknd!

Nota: 90/100

Ouça: