Permita-se ser você!

Engraçado como no verão a gente não só se despe das roupas, mas também de todo o pudor. Falo isso porque costumamos correr para os litorais, esbanjar nossa “saúde” pelas praias do Brasil, beber toda a cerveja do país para “se refrescar” e sair beijando até quem a gente prega que não vai beijar durante todo o ano. Menti? E a lista foi pequena porque eu não cheguei a falar do Carnaval!

Mas querem mesmo saber o motivo pelo qual eu estou escrevendo sobre isso? Alguns de vocês não vão sacar (faltarão anos vividos), mas pensem numa década na qual as pessoas integraram um movimento em prol de mudanças (no pensamento da sociedade), contestando os padrões constituídos, pedindo o fim da guerra no Vietnã, dentre várias outras coisas. Alguns afirmam que este foi um movimento de contracultura, e nele respeitavam questões ambientais, prática de nudismo e emancipação sexual…

Isso mesmo! Movimento hippie! E como aqui nós falamos de música, a gente não consegue pensar em hippie sem lembrar-se de Woodstock nem mencionar a Janis Joplin!

Na década de 60, artistas faziam parte desse movimento e tentavam, através de sua arte, fazer com que os respeitassem como seres humanos. Joplin foi além, pediu para ser respeitada como mulher também, e conseguiu se impor dentro do mercado do rock and roll (dominado por homens) se tornado uma das principais representante do segmento. Hoje ela estaria completando 74 anos se estivesse entre a gente e aqui vai nossa homenagem com os 05 melhores clássicos dela:

E sobre o nosso primeiro parágrafo, a mensagem é a seguinte:

Respeite-se e você será respeitado.