20 anos de… Middle of Nowhere, o primeiro disco dos Hanson

O ano era 1997. Muita coisa estava acontecendo no cenário pop mundial. As Spice Girls já eram uma realidade mundial, os Backstreet Boys e N’Sync já conquistavam seu público mas outra boyband também traçava o seu caminho e dominava os charts e o coração de fãs mundo a fora.

Incrível de acreditar mas sim meus amigos. O primeiro disco “oficial” (a banda lançou dois álbuns independentes antes de assinar com a gravadora) e mais bem sucedido disco dos Hanson completa neste ano 20 anos do seu lançamento. Middle of Nowhere foi um dos discos pop mais bem sucedidos da história. Uma prova disso é que o álbum encerrou os anos 90 na lista dos cem discos mais vendidos da década de 90, nos Estados Unidos, de acordo com a Billboard.

Middle of Nowhere é um daqueles discos que vem carregado de hits. A banda dos três irmãos venderam mais de dez milhões de cópias ao redor do globo, atingiu o #1 em diversos mercados como Inglaterra e Austrália e emplacaram cinco singles: Thinking of You, I Will Come to You, Where’s the Love, Weird e, claro, MmmBop!

MmmBop foi um estrondoso sucesso. O single ficou por três semanas em primeiro lugar na Inglaterra onde vendeu mais 700 mil cópias! E detalhe: na época só existiam os singles físicos, nada de downloads… então já dá para imaginar o tamanho do sucesso! Para o canal VH1 a música está entre as 20 melhores dos anos 90! Certamente é incalculável a repercussão que o single de estreia do trio teve ao redor do mundo e como isso influenciou o mercado da música.

O mais legal dos Hanson era que eles sempre fugiram do estereotipo das boys bands. Os três realmente tocavam e tinham um comportamento no palco de uma banda mesmo, apesar das vozes ainda quase que infantis. Mas eles não tinham nada daquelas coreografias e figurinos milimetricamente pensados e ensaiadas por semanas.

Se você curte música Pop e, ainda mais, é apaixonado pelos anos 90 precisa ouvir o disco. Nostalgia pura! Minhas favoritas: I Will Come To You, Weird, Yearbook e, claro, Mmmbop!

Tagged with: