Tempo voa: 21 anos sem Mamonas Assassinas

Muitos que acessam ao Música Inspira se quer tinham nascido, mas há exatos vinte e um anos a música nacional perdia uma parte da sua história. Num trágico acidente de avião, os cinco integrantes dos Mamonas Assassinas deixaram pra trás diversão, descontração e uma energia do bem como certamente pouquíssimos artistas puderam experimentar.

Toda morte inesperada deixa a gente perplexo, mas o que acontece com a gente quando além de inesperada vem acompanhada de uma tragédia? Confesso que enquanto escrevo esse texto, dei uma engasgada. Na época, eu com oito anos de idade, cantava e dançava loucamente aquelas músicas divertidas, muitas vezes politicamente incorretas, mas tudo aquilo fazia a gente feliz. A banda tinha uma aceitação das  crianças e nos pré-adolescentes que era absurdamente grande.

A noite de 02 de março de 1996 ficou e vai continuar na memória de bastante gente. A banda se preparava para pousar no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo. Havia uma camada espessa de neblina que cobria a Serra da Cantareira o que dificultava o contato visual, principalmente somado ao fato de que eram 23h15. O jato particular então colidiu na mata e os nove ocupantes da aeronave morreram. No avião estavam, além dos cinco integrantes dos Mamonas Assassinas, dois tripulantes, um segurança e um assistente de palco da banda.

O mais impressionante de tudo era que a banda estava voltando do seu último show, aquele que marcava o final da turnê que rodou o país todo. A última apresentação foi em Brasília naquela mesma noite. Terminou o show, a banda estava pronta para voltar casa, mas jamais imaginaria o que estava escrito nas linhas do destino.

A irreverência da banda ganhou o país todo. Lançaram apenas um único disco mas recheado de hits que a gente canta até hoje. Eles eram figuras carimbadas nos programas de TV. Havia uma disputa explícita entre os programas do Gugu e do Faustão para ver quem conseguiria tê-los nos seus palcos semanalmente.

Entre o lançamento do primeiro e único disco até a morte do quinteto apenas nove meses separaram as datas. Eles foram espetaculares, explodiram de maneira colossal. Foram mais de três milhões de discos vendidos, de sete à nove shows por semana. Inegável a importância da banda no cenário pop brasileiro.

Como homenagem, uma lembrança:

Segue a gente: @musicanosinspira

Tagged with: