MUNA, o trio de L.A. que virou ícone na comunidade LGBTQ

Felizmente temos visto cada vez mais artistas representando a comunidade LGBTQ e isso tem sido de enorme grandeza. Expor nossas causas nos tornam mais fortes e com mais voz diante de uma sociedade muito, muito preconceituosa. A dica da vez é o trio norte-americano MUNA, três meninas de Los Angeles que tranquilamente assumem suas preferências sexuais por outras meninas e que vem ganhando destaque na música.

As meninas do MUNA (Katie Gavin, Josette Maskin e Naomi McPherson) lançaram o primeiro disco da carreira no mês passado. About U é daqueles discos que merecem ser ouvidos. Mas antes de falar sobre minhas percepções sobre o álbum é importante apresentar, mesmo que brevemente, o trio.

MUNA é um grupo de meninas que se conheceram, em 2013, na faculdade, em L.A, e que numa festa tiveram mais contato e perceberam que tinha alguma ‘liga’ entre seus gostos e suas visões de mundo. Decidiram então ensaiar, compor e, em 2014, lançaram o primeiro EP. Claro que o material já chamou atenção de influentes no mercado da música e, no ano passado, elas participaram do SXSW, o maior festival de música, inovação e criatividade do mundo. Ainda em 2016 lançaram no Spotify seu primeiro EP ‘oficial’ com a ajuda da RCA, uma das gigantes no mercado da música e agora lançam o primeiro álbum.

About U traduz perfeitamente o som que as meninas vêm trabalhando ao longo destes anos e as trazem muito além de ser uma girlband. Elas próprias classificam o som como um dark pop, uma mistura de R&B, sons e batidas de funk e, claro, o synthpop. Para elas as músicas do trio vão desde canções “eufóricas para a pista de dança até a solidão emo para ficar no quarto“.

As minhas favoritas do disco são ‘Crying on the bathroom floor’, ‘Loudspeaker’ e a ótima ‘I Know a Place’. Mas claro que há outras faixas que merecem atenção e, também, reflexão. Loudspeaker, por exemplo, fala em dar voz às mulheres. A canção traz fortes referências sobre assédio e violência sexual contra as mulheres e sobre a importância em erguer a voz e falar, denunciar. Crying On the Bathroom Floor fala sobre relações que consomem a gente, mas de forma negativa, e como a gente permite que isso aconteça e, muitas vezes, cegamente continuamos vivendo aquela vida medíocre. Elas se referem a esse momento como um ‘dark moment’. A canção ganhou também uma interpretação política. Em janeiro passado, com a posse do presidente Trump, o grupo foi às mídias sociais pra fazer um paralelo da letra com o ‘dark moment’ que o país se encontra. Já deu pra perceber que elas são daquelas artistas que a gente ama e que se posicionam, não ficam em cima do muro.

Ainda há no álbum uma faixa que tem roubado toda a cena. A revista Gay Times, a maior revista da cena LGBTQ em todo o mundo, classifica a canção ‘I Know a Place’ como a faixa que todos da comunidade deveriam ouvir já! A música foi composta para a parada Gay de 2015, época em que a Suprema Corte norte-americana concedeu o direito do casamento gay. Apesar disso a música só foi lançada no final de 2016 e faz total sentido num ano em que tivemos o trágico ataque à boate gay em Orlando. É uma música que comemora o espaço que a comunidade tem alcançado, porém ainda cheia de receios e que clama por proteção, por segurança, assim como toda população precisa e merece. Mesmos direitos. É uma música que traz imensa reflexão e percepção sobre quem somos.

Publicações em todo o mundo, como a BBC e a W Magazine, tem dado destaque ao envolvimento das meninas nas causas LGBTQ, seja por suas letras, pelo posicionamento aberto defendido em entrevistas, pelo ativismo praticado também online. E isso tem garantido às meninas posição de reconhecimento como ícones e exemplos a serem seguidos. Política e música andando lado a lado, de mãos dadas! 🙂

Outros destaques do disco são as faixas Promise, If U love me now, Winterbreak e a que abre o álbum, So Special. Mas pode-se ouvir o disco com confiança. Não há uma faixa para gente falar que merece ser pulada. Todas elas têm algo para dizer e o som realmente é bom e empolga. Queremos show das meninas do MUNA por aqui já! Por sinal elas se apresentam em Londres, na próxima semana. Os dois agendados por lá estão esgotados há semanas. Vamos aguardar, vai que uma alma resolve trazê-las pra cá… mesmo que demore, a gente já tá contando os dias!

Ouça o álbum agora:

Segue a gente no Instagram: @musicanosinspira

Tagged with: