A incrível viagem no tempo do Tuxedo

Não consigo ser nem um pouco imparcial ao falar do Mayer Hawthorne, então senta aí e aguenta a minha rasgação de seda, SIM!!!!! Eis que dois anos depois do lançamento do primeiro disco do projeto paralelo do cantor, o Tuxedo, chegou ao mercado nesta sexta-feira (25) o segundo trabalho do duo que traz a parceria do Mayer com o produtor de hip-hop Jake One.

Ouvir o Tuxedo é como viajar para os anos 80. Suas canções são cheias de ritmo, de groove e faz você achar que foram encontradas num baú. O incrível do Mayer é como ele consegue trazer um ritmo que poderia parecer datado, ultrapassado e tornar isso atraente, além de deixar a gente com uma vontade doida de dançar e curtir. Ouça o Tuxedo II e você vai entender melhor o que eu tô falando. Já fui em alguns shows do Mayer aqui e fora do país e posso dizer que, mesmo diante de uma plateia bastante apática – como a da Suíça, por exemplo, ele consegue fazer todo mundo se “jogar” e arriscar alguns passinhos, você também vai querer quando estiver ouvindo o álbum.

Tuxedo II traz apenas onze faixas e o gostinho é de quero mais, deixando a gente com aquela vontade de que o projeto paralelo do cantor continue sim. Dá play nas faixas que abrem o disco: Fux with the Tux  e 2nd Time Around! Me segura! Me solta! Me deixa! Se joga! É uma viagem única no tempo com muito, muito, muito bom gosto! O som é inegavelmente sofisticado.

Todas as faixas do álbum foram compostas por Mayer e pelo Jake. Você vai ver, ou melhor, ouvir que as músicas são extremamente bem produzidas trazendo uma reprodução fiel de sons oitentistas. Take A Picture é outra obra-prima do álbum.

A banda que dá todo o tom do disco é a mesma que tem circulado com o Mayer em sua carreira solo. Por falar em shows, o Tuxedo tem datas marcadas pelos Estados Unidos e Europa por estes dois próximos meses. Por aqui, por enquanto, nadica. Já faz pouco mais de três anos que Mayer não passa por aqui no Brasil e a gente só acha que já passou da hora de voltar!

Chega ser redundante falar o quão interessante o álbum é, mas ele ainda é a trilha sonora perfeita para uma festa. Chega a ser também um ótimo disco de estudo para entender a evolução do soul, do funk norte-americano. E vale ressaltar que, acima de tudo, o Tuxedo II é um álbum para as pessoas se divertirem. Outra ótima faixa do disco é Back in Town, mais uma mostra de música adulta decente. Vamos mostrar cultura para esse povo, meu Deus!

Se mesmo diante dessa minha reverência ao disco que, confesso muito me surpreendeu, você ainda não começou a ouvir o disco, sua chance é exatamente essa: ouça e aproveite já! Se você gosta de música e, principalmente, de boa música, não irá se arrepender.

Já segue a gente no Instagram? Não? Então vem: @musicanosinspira

Tagged with: