Nelly Furtado e seu ‘The Ride’ – mais um flop?

Depois de anos de espera finalmente a cantora canadense Nelly Furtado lançou seu novo disco. E a gente já sabe que o desempenho nos charts ao redor do mundo ficou muito abaixo do esperado, mas é justamente aí que quero a sua atenção.

Muita gente ainda insiste em comparar qualquer lançamento da Nelly com a incomparável repercussão de seu disco Loose, lançado há mais de dez anos. O álbum vendeu pencas e fez da Nelly um extremo sucesso comercial ao redor de todo o mundo, mas preste atenção no nome do tal álbum: Loose. Era justamente o que ela mais estava, perdida.

Nenhum disco da Nelly Furtado, além do Loose, foi um sucesso comercial. Então por que a gente ainda fica insistindo nas comparações de um disco que justamente não refletia a capacidade criativa da cantora. Loose era um álbum essencialmente comercial, produzido pelo cara mais requisitado da época, Timbaland. Mais mainstream impossível.

Nelly Furtado sempre foi conhecida pela ausência do medo em arriscar e experimentar. The Ride, seu novo trabalho, é mais uma prova disso e aqueles que só se preocupam com charts e o que é mainstream jamais vão conseguir entender o porquê de mais um “flop”.

The Ride é mais um álbum com a cara real da cantora. Tem hora que é de fácil digestão mas tem hora que a gente não suporta ouvir nenhuma faixa. Por que será que isso acontece?! Tem sido assim nestas duas últimas semanas desde que o álbum foi lançado.

Favorita?! Muita gente e nós também elegemos Sticks and Stones como a queridinha do álbum. A canção é um cover da cantora inglesa Arlissa, lançada originalmente no início de 2013 e que até marcou presença no Top 50 da Inglaterra. Eu também gosto muito de Palaces e Flatline, lançada como um dos singles do disco.

Felizmente gosto é algo que não se discute e cada um, ao ouvir, vai ter a sua percepção, a sua interpretação. Então não se baseie apenas no sucesso ou não de um disco para ouvi-lo. Permita-se ter essa experiência, pois você pode ser surpreendido da melhor maneira possível.

Tagged with: