Chris Cornell, uma voz que não dá para substituir #RIP

Ontem (18) pela manhã quando acordei e vi a notícia sobre a morte de Chris Cornell uma lágrima escorreu não querendo acreditar que aquilo fosse real. Não só pela jovem idade do cantor, 52 anos, mas pelo tamanho da falta que a voz – e que voz – fará falta na música.

Chris Cornell fez parte de um dos movimentos de grande relevância na música mundial, o grunge, liderado por  Nirvana, Pearl Jam e, claro, o Soundgarden, banda fundada pelo próprio Cornell. Anos mais tarde o cara se aventuraria ainda em carreira solo, com o Temple of the Dog e com a bem sucedida e elogiada banda Audioslave. O cara era tão fodão que até tema para filme do 007 ele tinha! You Know My Name, lançada em sua carreira solo, foi tema de Casino Royale, lançado em 2006.

Quando a notícia que confirmava a causa da morte veio à tona, foi um outro soco no estômago daqueles que deixam a gente enjoado, sem nenhuma reação. De acordo com a polícia, o cantor se matou enforcado, no quarto do hotel, após o show que fez com uma de suas bandas, o Soundgarden, na cidade de Detroit, na noite de quarta-feira (17). Os ingressos estavam esgotados e cenas da última apresentação do cara são replicadas incansavelmente na internet desde o anúncio da sua morte. O show na íntegra:

 

Eu não acompanhei o Soundgarden por causa da minha pouca idade na época mas não dá para não lembrar de Black Hole Sun! Um clássico dos anos 90! E quando o Audioslave surgiu trazendo aquela junção do Chris, sempre reconhecido por seu grande alcance vocal e energia, com o talentoso Tom Morello, do Rage Against the Machine, não tinha como não ser bom. Quando lançaram o clipe de Cochise, consigo claramente me lembrar de ter ficado grudado na TV (sim, ainda víamos videoclipes na TV) querendo mais! Aquela energia toda, aquela explosão de fogos de artifícios! OMG! Eu tinha 15 anos e aquilo traduzia exatamente a explosão de emoções que corria dentro do meu peito e nas minhas veias. Obrigado MTV por compartilhar isso comigo e ter feito parte dessa história!

Chris Cornell ainda era um galã nato. Impossível não se apaixonar pelo seu rosto, por suas expressões. Combinadas com a voz então. Quem não caiu de amores quando viu Like a Stone pela primeira vez. Pra muitos a melhor música do Audioslave. Com o anúncio da morte do cantor, o single voltou a figurar entre as dez faixas mais compradas no iTunes ao redor do mundo, com grande destaque para o mercado norte-americano.

A primeira homenagem pública ao cantor vai acontecer neste domingo, durante o Billboard Music Awards, que rola nos Estados Unidos. Os caras do Imagine Dragons foram os escolhidos para prestar tributo a essa que, definitivamente, foi uma das vozes mais reconhecidas e aclamadas da nossa geração. Não se sabe ainda se será uma apresentação tributo ou apenas uma homenagem simbólica através de discurso.

 

Uma das faixas do Audioslave que mais me prenderam atenção e que me emociona profundamente é Be Yourself, lançada em 2005, no disco Out of Exile! Tem tanto de mim ali. Parecia um conselho. Eu tava com 18 anos e aquelas letras enfatizando para gente ser nós mesmos me confortava num momento que muita coisa mudava comigo. Fez parte da trilha sonora da minha vida e uma lembrança dessas a gente jamais esquece. Assim como a voz rasgada e poderosa do Chris. Sem dúvidas uma daquelas vozes que jamais terá um substituto.

Que a alegria e a inspiração que ele espalhou por aqui faça que a passagem dele seja tranquila e acalme o coração de familiares, amigos e fãs. Obrigado por toda inspiração!