Galanga, de Rincon Sapiência, é preto e maravilhoso!

Certo dia, estave caminhando pelas ruas aqui do “errejota” com uma amiga e ela pediu para que eu parasse de andar pois ela iria tirar uma foto com uma pessoa. Achei estranho, mas concedi. Após a selfie, perguntei quem era o rapaz e ela respondeu surpresa: “Como assim? É o Rincon Sapiência. Você também tinha que ter pedido uma foto com ele!”

Ao chegar em casa, corri para ver o que eu estava perdendo e tive uma grande surpresa! Querem saber mais sobre quem estou falando?

Idolatrado pelo público predominantemente negro, Danilo Albert Ambrósio – conhecido como Rincon Sapiência – nos presenteou com seu primeiro álbum: Galanga Livre. E o próprio emecee explica para a gente do que se trata o “galanga” do título:

“Música que foi inspirada no conto fictício do escritor Danilo Albert Ambrósio que conta a história do escravo Galanga, que gerou uma grande reviravolta no engenho a partir do momento que cometeu um crime bárbaro…”

Daí pra frente é só porradaria! Rincon narra toda a trajetória do negro em sua história “fictícia” e musicada!

 

O álbum é bem conduzido e nos faz pensar – mais que nunca – em todas as questões político-sociais que estouram em todos os veículos de comunicação atuais. Mas, o mais especial é a sua abordagem sobre a rotina do negro e de seus ditos crimes bárbaros dentro da sociedade. Rincon clama pela vida longa do negro. Sem buchicho ou cochicho ele ataca, com muita sapiência, todo o nosso sistema e fatores que influenciam a atual situação degradante mundial. Mas não é só isso, ele ainda aborda temáticas leves do nosso dia-a-dia, como a nossa volta pra casa após o trabalho e dos nossos divertidos e envolventes bailes.

Ao escutá-lo, talvez vocês percebam que suas músicas trazem um rap brasileiramente grooveado, e isso faz a gente conseguir dançar em todos as pistas. O próprio Rincon falou sobre isso:

O afrorap seria um dos modelos brasileiros de se fazer rap. Esteticamente pode ser muito diferente — ou não — do rap tradicional, mas o grande detalhe é que ele tem como estrutura a música afro, que pode ser o samba, a ciranda, o marakatu, o carimbó, ou pode ser algo do próprio continente africano… Então essa música que se baseia em percussão, na rítmica, eu defino afrorap.”

Rincon Sapiência no música inspira

 

Acompanhar a fuga do rapaz é uma aventura maravilhosa, acho que todo mundo precisa fazer isso. Ouvirão situações corriqueiras da vida de qualquer cidadão, mas saberão que pretos e pretas precisam se amar porque isso é lindo e maravilhoso!

Vida longa ao Galanga!