A vida de Preta Gil em cinco momentos musicais!

Vamos falar dela, que é uma das artistas mais polêmicas do cenário musical brasileiro: Preta Gil!

E engana-se quem pensa que a Preta só está aí para polemizar à toa, a moça é toda engajada em vários assuntos importantes para a nossa vida e usa sua música como arma principal.

Por isso, vamos fazer uma contagem regressiva aqui, com os cinco momentos mais inspiradores na carreira musical da Preta Gil. Estão prontos?

5 – Preta no carnaval de Salvador:

Filha do grande soteropolitano Gilberto Gil, Pretinha se jogou no carnaval da cidade por diversas vezes, esse ano (2017) ela saiu pela primeira vez com o seu bloco – Bloco da Preta – já tradicional no Rio de Janeiro. E no vídeo, ela explica qual foi a sensação desse marco em sua carreira. Veja a seguir.

 

4 – Sou Como Sou:

Em música que dá nome ao seu terceiro álbum, Preta Gil critica os padrões que são impostos pela sociedade no que diz respeito ao sexo, cor, religião e todo o resto.

 

3 – Meu Corpo Quer Você:

A música é do Naldo – ele a convidou para participar do DVD que o colocou nas paradas nacionais, mas a Preta roubou a faixa (num bom sentido, óbvio) e fez da mesma um de seus maiores sucessos.

 

2 – Preta Gil e Ana Carolina:

As cantoras veneradas pelo público LGBT já trabalharam juntas várias vezes. “Sinais de Fogo” foi o primeiro sinal dessa parceria. A faixa é o maior hit da Preta, sem dúvidas.

 

Depois, ela gravou outra composição da Ana Carolina, Stereo. “Menina e menino pego em stereo, mas não venha grudar, não”, canta ela no refrão.

 

E a mais recente – GLS – faz parte da trilha do filme “Gostosas, Lindas e Sexies”, que pelo título já dispensa qualquer comentário, né? Maravilhosas!

 

1 – Prêt-à-Porter

 

O primeiro disco da Preta Gil a trouxe embaladinha numa fita do Senhor do Bonfim e NUA! Hoje em dia, acho que isso não chocaria muito, mas a Preta causou um auê na época de seu lançamento. E a arte do disco causou desconforto e espanto nacional por ter trazido a Preta nua e com um peso acima do exigido pelos padrões de moda. As críticas serviram como um prato cheio para a moça, que vem lutando contra a gordofobia desde então. E digo mais: o álbum é ótimo!

 

Tagged with: