Os 20 anos do álbum ‘…Baby One More Time’, de Britney Spears

Os 20 anos de '...Baby One More Time', de Britney Spears

Difícil de acreditar, mas no próximo dia 12 de janeiro, é celebrado os 20 anos do álbum ‘…Baby One More Time’, de Britney Spears.

Falar que a música POP deve todo o seu esplendor e auge à Britney Spears chega a ser muito audacioso, não é mesmo? Mas podemos falar com todas as letras que existe uma música pop antes de Britney e outra, completamente diferente, depois da explosão do seu single de estreia, Baby One More Time, lançado no final de 1998.

A década de 90 foi marcada por grandes transformações culturais em todo o mundo. O Britpop liderado por bandas como Oasis e Blur despontavam, enquanto o hip hop e o R&B se firmavam como uma indústria milionária, já o pop… ah, o pop… ele rastejava e clamava por alguém que o salvasse. É verdade que Madonna estava na cena havia mais de 15 anos quando Britney surgiu, mas a indústria fonográfica buscava alguém que fosse menos polêmica e que representasse o padrão americano. Nem preciso dizer que esse estigma caiu por água abaixo conforme Britney foi se firmando como uma das grandes artistas desse movimento.

Na segunda metade da década de 1990 o mundo acompanhou uma invasão das “bands” do mundo pop. Backstreet Boys, Hanson, N’Sync, Five, Westlife, Boyzone e Take That dominavam os charts em todo o mundo consagrando o fenômeno das boybands que ganharam sobrevida nesta década atual com bandas como o One Direction, The Wanted e 5 Seconds of Summer. Do lado feminino, tivemos as Spice Girls. O sucesso foi tão grande que as meninas alcançaram o feito de maior grupo inglês (vendagens e recordes) de toda a história, depois dos Beatles, claro.

Britney Spears chegou na hora certa fazendo com que a combinação de ser uma cantora solo, jovem, bonita, de talento inquestionável gerasse uma das maiores transformações que a indústria do entretenimento pode já ter visto.

…Baby One More Time – o disco – que completa 20 anos do seu lançamento neste mês de janeiro, traz o pop na sua essência máxima. Traz baladas, músicas dançantes e que são fáceis de serem cantadas. A facilidade foi tanta que os números impressionam: o disco acumula a incrível marca de mais de 32 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, sendo que mais de 15 milhões foram comercializadas apenas nos Estados Unidos.

Há quem diga que a carreira de Britney foi fabricada. Claro que mesmo quem é o fã mais fervoroso da cantora, consegue reconhecer que seus passos foram milimetricamente calculados. Mas a música pop é isso. Uma indústria pensada para extrair milhões de dólares, consagrando um artista que tem o objetivo de fixar em sua cabeça. Dúvida que quem não seja um conhecedor das músicas da Britney, não saiba cantarolar ao menos um de seus mega sucessos. Pop farofa, pop chiclete seja lá como você preferir chamar.

Grande parte do sucesso do primeiro disco de Britney Spears, além da combinação dos fatores já comentados anteriormente, foi a parceria com o produtor sueco Max Martin. O cara tem o dedo certo e acumula uma quase infinita lista de produções extremamente bem sucedidas na indústria da música Pop. E trabalhar com o cara fez com que tudo virasse ouro. O cara certo, na hora certa.

…Baby One More Time gerou cinco singles. Além da canção título, tivemos ainda Crazy e Sometimes como músicas de trabalho e outros dois lançamentos, sendo singles regionais. Born to Make You Happy foi lançado na Europa, enquanto From the Bottom of My Broken Heart, nas Américas.

Para comemorar os 20 anos do disco ‘…Baby One More Time’, foram lançadas edições especiais do álbum. A primeira, já esgotada, saiu ainda em 2017, em vinil rosa. O segundo lançamento, feito pela Urban Outfitters, traz o disco em vinil branco. Pode ser comprado por aqui. E, recentemente, a loja americana Target lançou uma edição exclusiva e limitada dos colecionáveis Funkos edição Baby One More Time que acompanha ainda uma camiseta.

Max Martin, o cara certo da mÚSICA POP

Max Martin é daqueles produtores que fez a música POP dar uma guinada e tanto no final dos anos 90 e continua o seu legado até hoje.

Os 20 anos do disco '...Baby One More Time", de Britney Spears - Produtor: Max Martin
Max Martin: o dono da música Pop desde os anos 90!

O sueco de 47 anos começou sua carreira na música ainda nos anos 80 quando participou de pequenas bandas. Conforme o tempo foi passando – e lançando até discos – seu talento como compositor começou a ser reconhecido. Na primeira metade dos anos 90 chegou a colaborar em discos de grupos como o Ace of Base (vale pesquisar sobre) até que teve interesse por produção. Nesta época Martin trabalhava em parceria com o Cherion Studios.

A virada aconteceu quando o Cherion Studios foi contratado pela gravadora Zomba pra trabalhar em materiais do primeiro álbum dos Backstreet Boys, lançado em 1996. Max Martin foi um dos produtores e compositores de faixas como Quit Playing Games (With My Heart), Everybody (Backstreet’s Back) e As Long As You Love Me.

Tal exposição e sucesso alcançado com a Zomba fez com que Max fosse requisitado pra trabalhar em tantos outros materiais da indústria pop. A banda inglesa Five, o cantor canadense Bryan Adams, a cantora Robyn foram alguns dos que trabalharam com Max ainda em 1998. Mas ao longo de sua carreira ainda trabalhou com nomes como Taylor Swift, Katy Perry, Celine Dion, Avril Lavigne, Jessie J, Usher, Westlife, Kelly Clarkson…. Praticamente tudo o que explodiu nas duas últimas décadas passou pelas mãos de Max Martin.

A parceria entre Max e Britney começou em 1998 quando a faixa Baby One More Time, composta por Martin, foi apresentada à Britney, depois de ter sido recusada por outros artistas. A partir daí foram anos de trabalhos em conjunto. Max participou dos três primeiros discos da cantora em canções como Oops, I Did it Again, Stronger, Overprotected, I’m Not a Girl Not Yet a Woman. Voltou a trabalhar com a cantora no disco Circus e em Femme Fatale, nos singles Hold it Against Me, Till the World Ends e I Wanna Go.

Sem dúvidas uma parceria de muitos hits e com muita história para contar.

ALGUMAS Curiosidades de …Baby One More Time

  • Num mundo onde as composições das canções são feitas cada vez mais de forma colaborativa, …Baby One More Time pode estufar o peito e dizer que tem apenas um compositor: o sueco Max Martin.
  • Antes de ser gravado por Britney, o single que dá título ao álbum foi recusado pelo trio TLC meses antes e também pelos Backstreet Boys.
  • Já repararam que enquanto Britney canta “My loneliness is killing me…” em BOMT, na faixa Stronger do seu segundo disco, Britney diz “My loneliness ain’t killing me no more….I, I’m stronger”? As duas foram compostas por Max Martin e teria gerado comentários sobre o amadurecimento da cantora entre um álbum e outro.
  • Em BOMT Britney deu inicio a uma trilogia de regravações. Ao menos uma faixa dos seus três primeiros álbuns é regravação de algum sucesso cantado por outro artista. No seu álbum de estreia, a faixa The Beat Goes On, da cantora Cher. Em Oops, I Did it Again (Seu segundo disco) teve a canção Satisfaction, dos Rolling Stones. E no seu terceiro álbum, Britney, a faixa I Love Rock’n Roll, da Joan Jett.