Eddy de Pretto, a grande revelação da música francesa

Eddy De Pretto - Revelação da Música Francesa

Eddy de Pretto certamente é daqueles cantores que a gente tem que conhecer. Não tem como passar despercebido. Seu visual, seu estilo francês de fazer rap e suas letras fortes fazem do cantor uma das grandes revelações da música francesa da atualidade.

Nascido e criado em Créteil, subúrbio de Paris, Eddy de Pretto cresceu num ambiente onde a cultura do rap era bastante presente, mas que convivia com o seu interesse pela música clássica – estilo favorito e ouvido intensamente pela sua mãe. Entre suas influências, nomes como Frank Ocean e Stromae aparecem no topo da lista.

Durante parte da sua infância, o cantor fazia shows em casa junto com uma vizinha. O público? As mães deles, claro. Foi cantando músicas das Spice Girls que Eddy percebeu que aquilo era o que ele gostaria de fazer. Aos 12 anos começou a ter aulas de teatro, piano e técnicas de voz que foram aprimoradas anos mais tarde quando frequentou o Instituto Superior de Artes, onde teve aulas de canto, dança e também de atuação. O curso, em período integral, fez com que Eddy tivesse contato com diversos tipos de manifestações e movimentos culturais., do jazz ao hip-hop. Esse aprofundamento é nítido na forma como o cantor se apresenta, sua expressão corporal é forte e marcante e seus videoclipes trazem uma certa teatralidade, uma dramatização artística indiscutível. 

Suas letras refletem principalmente suas experiências pessoais. Kid, por exemplo, surgiu para falar sobre a pressão que o ambiente familiar lhe colocou para ser um homem viril, macho. Mas seu porte físico e sua orientação sexual – o cantor é assumidamente gay – denotam o contrário do que seus pais tinham como expectativa. Recentemente apresentamos aqui no Música Inspira o cantor inglês Sam Fender que também fala sobre essa masculinidade tóxica e impositiva. Felizmente Eddy encontrou na música uma forma de superar seus dramas pessoais e exorcizá-los. Nada melhor do que ser quem você realmente é, sem filtros.

Em 2017, Eddy de Pretto lançou o seu primeiro EP que justamente tinha a faixa Kid como título do projeto. Random foi o seu segundo single e a primeira canção do seu disco de estreia. Cure, lançado no ano passado, teve grande repercussão positiva, chegando a ser o disco mais vendido na França uma semana depois do seu lançamento, em março de 2018. Os shows também vão muito bem, obrigado. Para se ter uma ideia, a turnê do cantor tem agendada 10 apresentações seguidas, em Paris, para o próximo mês de maio, além de datas na Suíça, Bélgica, outras cidades da França e Canadá.

Ainda sobre o seu disco de estreia, Cure, o cantor afirma que o título foi escolhido porque, pra ele, há um sentimento de cura no álbum. Libertação traz a cura. Mas também porque Cure, em francês, é um palavra que não soa tão bem, parecendo que algo está arranhado e isso cria uma metáfora com a autenticidade que o trabalho traz.

A publicação EuropaVox chegou a falar que Eddy de Pretto “tem um tipo de carisma que chega a ser esquisito mas que cativa”. De fato, é conquistador. Desde que ouvi a sua música pela primeira vez, a sua figura não me sai da cabeça. Talvez porque a gente, mesmo não falando francês (pelo menos no meu caso), se identifica com o que é verdadeiro. Tratar de assuntos pessoais, mas também de temas que merecem atenção nos dias atuais como gênero e homofobia faz com que criemos certa empatia pelo cantor. Mesmo não levantando nenhuma bandeira – Eddy já mencionou isso em diversas entrevistas – é inegável que tem se tornado uma das vozes mais influentes da sua geração.

A dica é: guardem esse nome – Eddy de Pretto. Enquanto isso, ouçam o álbum do cantor:

Curtiu? Conta para gente o que você achou?