Alex Turner: o cara mais legal do rolê

Alex Turner Arctic Monkeys Lollapalooza

Mais uma edição do Lollapalooza vem se aproximando e, desta vez, a chance de conferir ao vivo o show do Arctic Monkeys, que junto de Kendrick Lamar, ganham o título de maiores atrações do festival neste ano. Não é a primeira vez da banda no Brasil, mas há sempre uma comoção geral, principalmente pela figura do seu frontman, Alex Turner, o cara mais legal do rolê.

Há diversos exemplos de vocalistas que se tornaram maiores do que suas próprias bandas e Alex Turner atingiu esse posto com sucesso. Desde que o Arctic Monkeys despontou, ainda na primeira metade da década passada, Alex conquistou uma legião de fãs e também atenção da mídia. Ganhou o status de herói do rock, gênero que sofre há anos com queda na popularidade e sem representante de escala global.

Em 2005, ainda aos 19 anos, Alex Turner foi eleito por um júri da revista inglesa NME como o cara mais descolado do planeta, ficando à frente de nomes como Liam Gallagher (Oasis/ Beady Eye) e Damon Albarn (Blur/Gorillaz), veteranos e polêmicos nomes da música entre os anos 90 e 2000.

Para uma geração que não tem um “Guitar Hero”, Alex trouxe autenticidade e uma atitude provocativa e desafiadora. Sua habilidade como vocalista e músico, são potencializadas com suas composições. O músico oferece “uma excitante alternativa aos elementos pré-fabricados da indústria da música”, disse Ian Burrell, da NME

O Arctic Monkeys é daquelas bandas que já cravaram seu lugar na história. Poucas conseguem se manter na atividade por quase duas décadas com tamanha expressão e influência entre o público jovem. Alex Turner e companhia contam com a capacidade de se reinventar, sem parecerem  datados, ultrapassados. Seu público cresce a cada lançamento. Malandros que são, souberam identificar as qualidades e características que sua audiência mais se interessa e tiram proveito disso sem pudor algum.

FASHION ICON

O rock não seria o rock se não fosse a moda. Sim, a composição do visual, do look do artista diz muito mais da sua atitude, em grande parte das vezes, do que o próprio som que está sendo entregue ao público.

Alex Turner também se tornou uma referência em estilo. Sua aparência e as roupas que usam são copiadas em todo o mundo. O cara já foi até capa da revista Esquire, uma das maiores publicações globais de estilo e atitude masculina, reafirmando sua capacidade de influenciar e ditar tendências. Alex é o pacote completo.

O cara mais legal do rolê
TRENDSETTER: Alex Turner foi capa (2014) da revista Esquire, uma das mais influentes sobre moda e comportamento masculino do planeta.

É bem verdade que, no início da banda, Alex adotava um visual nada diferente do que os jovens da sua idade. Mas com o reconhecimento mundial, o amadurecimento da sua música e também por ter namorado a fashionista Alexa Chung (foram anos e anos de idas e vindas), Alex Turner evoluiu consideravelmente no quesito look e se transformou nesse ícone hipster.

Sairam os jeans surrados, o cabelo bagunçado e camisetas desleixadas – mas que traduziam muito bem o espírito da banda à época, e abriu espaço para visuais mais elaborados, com claras referências aos ídolos Elvis Presley e James Dean. O tempo foi mudando e Alex foi refinando o seu gosto, mas também assumindo o papel de um personagem, uma persona criada para traduzir mais um sinal das suas brilhantes músicas. Tudo conversa entre si, tudo se complementa. Quando um novo material ganhar a luz do dia, um novo look vem acompanhando a estratégia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

ALEX TURNER: MAIOR DO QUE A BANDA

Soa constrangedor, mas também soa como realidade. Não há como pensar na possibilidade de Alex Turner sem o Arctic Monkeys. Na verdade até dá e temos o exemplo da investida de Alex com o The Last Shadow Puppets, mas é para o AM que o filho volta.

O disco mais recente do Arctic Monkeys, Tranquility Base Hotel & Casino, lançado em 2018, evidenciou ainda mais a importância de Alex para a banda e vice-versa. Muitos críticos classificaram o álbum como uma versão mais próxima possível de um disco solo de Alex.

O sexto álbum dos caras é uma perfeita tradução de música, letras seguras e maduras, atitude e visual que, por anos, parecia estar em formação para chegar neste ápice. Não é à toa que foi um dos indicados ao Mercure Prize 2018, um dos prêmios mais respeitados da indústria musical, como um dos maiores e melhores discos do último ano. Acabou não levando o troféu, mas precisava?

Tranquility Base Hotel & Casino é um álbum conceitual. Para quem acompanha a banda há algum tempo o disco traz uma novidade gigantesca, já que faixas que são fáceis de serem cantadas em coro nos festivais mundo a fora não ganharam espaço neste trabalho. Mas é isso o que deixa o disco ainda mais interessante, a novidade, a ousadia em arriscar por um território desconhecido.

O melhor de tudo é saber que agora está chegando a hora da audiência brasileira conferir, mais uma vez, os caras do Arctic Monkeys no país e morrer de amores pelo cara mais legal do rolê.  A banda se apresenta no Rio de Janeiro, no dia 03 de abril, e no Lollapalooza, em São Paulo, encerrando a primeira noite do festival, no dia 05.

Vai perder?