Bloco do Silva e a aula de Carlinhos Brown, em São Paulo

Silva Bloco do Silva Foto: Rafael Strabelli

O capixaba Silva se tornou um dos grandes nomes da música brasileira na última década e, agora, roda o país com o show Bloco do Silva, repleto de covers de hits de carnaval. Mas será que ele dá conta?

BLOCO DO SILVA 

Rolou neste final de semana, em São Paulo, a primeira grande apresentação do show do cantor Silva, o Bloco do Silva que resgata diversos hinos de carnaval de nomes como Ivete Sangalo, Araketu e Chiclete com Banana. E o início foi em grande estilo: no Memorial da América Latina para uma plateia de 10 mil pessoas!

Silva Bloco do Silva São Paulo
Silva no Bloco do Silva, em São Paulo (18/01/2020) – Foto: Reprodução / Instagram Silva

Foram pouco mais de duas horas de hit atrás de hit, principalmente dos anos 90, mas poucas canções do próprio cantor. Apenas as faixas A Cor é Rosa e Fica Tudo Bem, parceria com a cantora Anitta – pertencentes ao álbum Brasileiro, e o single avulso Um Pôr do Sol na Praia que traz a cantora Ludmilla, foram lembradas no show. Mas faz sentido. A história e discografia do cantor sempre foram bem distantes do que, de costume, se toca numa festa de carnaval. Ahhh… a novíssima canção Pra Vida Inteira, parceria com Ivete Sangalo também estava no setlist.

Em cima de um trio elétrico, foi interessante ver como cantor tem melhorado sua presença de palco, se soltado, dançado. Mas continua pecando na conexão com a plateia. Quase não há diálogo e, muitas vezes, falta essa energia da troca, o que faz o show ser apenas ‘razoável’ quando poderia ser ‘incrível’.

Mas vale ressaltar um ponto. Se você viu os videos do show que deu origem ao álbum Bloco do Silva, disponibilizado nos serviços de streaming, fica um alívio: o show é muito melhor ao vivo do que aquela “animação” que vimos nos trechos disponibilizados no Youtube. Ufa!

 

VIRADA NA CARREIRA

É ótimo quando um artista evolui musicalmente e se transforma ao longo da carreira, não ficando preso na mesmice. Analisando a carreira de Silva, é exatamente isso o que podemos perceber. Confesso que tinha muito mais afinidade aos três primeiros álbuns do cantor, principalmente Júpiter, mas sei reconhecer que a evolução e transformação fez com que a carreira do cantor desse a guinada necessária para a própria sobrevivência – financeira e artística – do Silva.

Em Brasileiro, o quinto álbum do cantor, onde ele trouxe o Brasil para seus trabalhos de vez, dá para ver uma aproximação clara à Caetano Veloso. Até a voz teve uma grande mudança. É fato. É neste álbum que está a participação da Anitta que fez com Silva chegasse a novos públicos e se tornasse um nome reconhecido em diversas partes do país.

Brasileiro foi o grande responsável por Silva estar cada vez mais conectado com a música brasileira, com os ritmos do nosso país e caminhar para um projeto como o Bloco do Silva nos parece ser apenas uma consequência natural, mesmo que ele não estivesse ligado ao carnaval e ao axé diretamente.

Logo, podemos dizer que o carnaval do Silva é um carnaval gourmet. Não é um carnaval raiz, então precisamos dar um desconto quando avaliarmos a entrega dele no palco.

 

CARLINHOS BROWN: Uma aula

O Bloco do Silva apresentado em São Paulo, neste final de semana, contou com a participação especial do multi-instrumentista, compositor e cantor Carlinhos Brown. E quem sabe, sabe! Em menos de dois minutos no palco, Brown já tinha o público na sua mão, sob seu controle.

Carlinhos Brown Silva - Bloco do Silva São Paulo
Carlinhos Brown faz participação especial no Bloco do Silva, em São Paulo. foto: Reprodução / Instagram Silva

Claro que não dá para comparar os anos e anos de Carlinhos Brown em cima de um trio elétrico, dominando a plateia e botando a energia lá no alto, mas foi justo na participação dele no Bloco do Silva que tudo mudou. Silva se perdeu, se apequenou e parecia que era ele quem estava fazendo uma participação especial e não Brown.

Foram quase 40 minutos e Silva – que já quase não falou durante todo o show – sequer falou com o público ou interagiu com seu convidado, deixando Carlinhos Brown dominar completamente a situação. Entendo a admiração e respeito com um dos maiores artistas da nossa música, mas era o Bloco do Silva e o cantor perdeu uma grande chance de se projetar como um dos grandes. Faltou integração entre os dois? Sim, mas muito mais do lado do Silva, pois Brown tentava trazer o cantor por diversas vezes para mais perto e fazer parte da festa.

Outro ponto que me passou a sensação de ter contribuído para a falta de jogo de cintura de Silva no palco, pode ter sido a irreverência e o improviso do convidado. Brown sabe, na hora certa, o que o público quer e como comandar o show e improvisou diversas vezes. Talvez Silva se sinta mais confortável seguindo o roteiro, seguindo o setlist, mas o jeito expansivo, explosivo e irreverente de Brown prefere priorizar a energia da galera, o que o público pede e quer.

Carlinhos Brown faz participação especial no Bloco do Silva, em São Paulo. foto: Reprodução / Instagram Silva
Carlinhos Brown faz participação especial no Bloco do Silva, em São Paulo. foto: Reprodução / Instagram Silva

Brown, por sua vez, mostrou que sabe, como poucos, mandar ver! E como manda bem! O ápice de todo o Bloco do Silva foi justamente o período que Brown esteve no palco mandando uma sequência de músicas que o público conhece bem como A Namorada, Água Mineral, Maimbê Dandá, Uma Brasileira e Dandalunda.

A participação de Brown foi uma aula para o Silva. E se ele se dispõe a fazer um bloco de carnaval, a aula foi dada e cabe agora melhorar sua conexão com a plateia ou o Bloco do Silva vai ser um bloco esquecido logo logo.


O Bloco do Silva chega à Belo Horizonte, Vitória e ao Rio de Janeiro nas próximas semanas. Os ingressos podem ser adquiridos em Silva.Tv.