O pós-punk da banda irlandesa The Murder Capital

The Murder Capital

Se tem uma coisa que a gente gosta de falar, é apresentar novos artistas. Os escolhidos da vez são os irlandeses, de Dublin, do The Murder Capital. Em artigo recente do jornal inglês The Guardian, eles ganharam destaque pela manchete que dizia que “as pessoas realmente precisam dessa banda”. Ficamos curiosos e resolver conhecer um pouco mais do The Murder Capital.

INTRODUCING: THE MURDER CAPITAL

Com quase cinco anos na estrada, a banda irlandesa The Murder Capital vem ganhando o seu espaço. A virada no jogo veio em 2018 quando assinaram com o selo Human Season Records antes mesmo de terem lançado algum single. As primeiras gravações foram lançadas apenas em 2019, mesmo ano do disco de estreia dos caras, o When I Feel Fears.

O som da banda pode ser “definido” como pós-punk! Alguns dizem que bebem da fonte de Joy Division, principalmente do antológico álbum Unknown Pleasures, além das fortes influências dos atuais Fontaines D.C. e Idles, mesmo que soe menos explícitos do que eles.

As letras falam de assuntos que realmente são importantes de serem ditos nos dias atuais e que bom que a música tem servido para expressar sobre assuntos tão delicados quanto saúde mental e gentrificação. As mudanças sociais e os impactos que elas causam nas vidas das pessoas são muitas vezes deixadas de lado, mas o The Murder Capital quer justamente falar sobre como as pessoas se sentem e como isso transforma a vida delas.

Ao vivo a banda se transforma e faz um show “teatralmente emocional”, segundo do The Guardian, que conferiu a banda se apresentar em Bristol dias atrás. De acordo com o relato da jornalista, tudo parecia ensaiadinho ou pensado demais.

O The Murder Capital é formado por cinco integrantes [James McGovern, Damien Tuit, Cathal Roper, Gabriel Paschal Blake e Diarmuid Brennan] que se conheceram na Universidade. O nome da banda surgiu após um amigo dos caras ter cometido suicídio e que acabou dando o tom emocional do disco de estreia.

COMEÇO COM PÉ DIREITO

A banda irlandesa The Murder Capital ainda tem pouco tempo na estrada, mas já tem muito o que comemorar. O seu primeiro disco, When I Feel Fears, lançado em agosto passado, conquistou em cheio a crítica.

O inglês The Guardian deu nota máxima para o primeiro trabalho da banda exaltando que “é um álbum de estreia excepcional vindo de uma banda que toca o que realmente quer falar”. O site DIY concedeu nota 9 ao trabalho e afirmou que “há uma sensação muito evidente de que, desde que foi concebido, o álbum já estava esperando ansiosamente para se tornar um clássico”. When I Feel Fears ainda ganhou atenção ao aparecer na lista de melhores discos de estreia lançados em 2019, do Metacritic! Uau!

Todos os elogios fazem bastante sentido, principalmente quando se vê quem está trás de toda produção do trabalho. Produzido por Flood, nome conhecido da cena indie e pós-punk, o produtor e também engenheiro de som acumula trabalhos com gente de peso! No currículo do britânico estão projetos com New Order, U2, Nine Inch Nails, Depeche Mode, 30 Seconds to Mars, The Killers e tantos outros. Nada melhor do que começar a carreira sendo assessorado por alguém com expertise desse calibre, não é?

When I Have Fears atingiu a segunda posição do ranking oficial da Irlanda, país de origem da banda. Enquanto isso, no Reino Unido, o pico do trabalho foi a posição 18, uma ótima posição para um lançamento quase que independente.

Contudo, o que dizer sobre o disco? Se você tem curiosidade de experimentar o som de novas bandas, viajar nas letras e na escolha do material, recomendo super a conhecer o The Murder Capital. O disco tem o lado mais dark, mas essa é a graça da coisa. Numa era que tá tudo tão igual, ouvir os caras te traz um refresco, mesmo que as referências em outras bandas são inquestionáveis.

Ouça When I Have Fears:


E aí? Curtiu o som dos caras? Eles estão em turnê pelo Reino Unido e logo mais seguem para os Estados Unidos e Canadá, inclusive vão se apresentar no SXSW! Depois voltam para uma turnê pela Europa com shows marcados até agosto. Se for passar por um desses lugares, vale dar uma olhada na agenda da banda.